Introdução O Autor Pergunte ao Professor Verbos Nossa Comunidade Bibliografias Contato
  Procurar no site:
  
  Página inicial
 Índice
  Acentuação gráfica
  Classe de Palavras
  Composição
  Concordância
  Conjunção
  Crase
  Estrutura do Vocábulo
  Figura de Estilo
  Fonética
  Formação da Palavra
  Frase
  Interjeição
  Interpretação
  Noções de Versificação
  Ortografia
  Pontuação
  Redação
  Regência
  Verbo
  Vicios da Linguagem
 Como Estudar Melhor
  Aprenda na sala de aula
  A arte de estudar
  Aprenda e ler melhor
  Faça Tranquilamente suas provas
 Comunidade
  Falando Português
 E-Book Download
  Modulos da Gramática da Lingua Portuguesa
  Comprar livro da gramática
 Pergunte ao Professor
de roger






Verbo

 Conceito do Verbo

"Palavra variável, de conteúdo nocional, que indica um processo, quer se trate de ação, de estado, de mudança de estado, ou de um fenômeno". (Apontamentos de uma aula do Prof. Delson Gonçalves Ferreira, em 1959 – Curso Champagnat.)

  • de ação: andar, correr.
  • de estado: ser, estar.
  • de mudança de estado: tornar- se, ficar.
  • de fenômeno: ventar, chorar.
  • Caracterização quanto ao critério semântico.

O verbo caracteriza- se, em oposição aos nomes, pelo valor dinâmico de sua significação, expressando realidades situadas no tempo. Essa idéia temporal traduzida pelo verbo pode assumir o caráter:

  • a) de TEMPO: é a situação da ocorrência do processo em relação ao momento em que se fala, como atual ou presente; anterior ou passada; posterior ou futura.

Nota - passada é igual a pretérita.

  • b) de ASPECTO: é o que diz respeito à duração do processo (visto como instantâneo: caio; ou durativo: estou lendo) ou à perspectiva pela qual o falante o considera (em um início incoativo: anoitece; em seu curso e inconcluso – imperfeito: chovia, em seu fim, já concluso – sem perfeito: choveu, presentes, a iniciar- se – inceptivo: vou falar; concluso, mas permanente em seus efeitos – permansivo: sei, repetido – freqüentativo ou interativo: saltitar).

Como se pode ver, o aspecto verbal, em português, é traduzido ou pelo próprio semantema do verbo ou por sufixos, ou por verbo auxiliar de locução verbal.

Caracterização quanto ao critério morfológico:

O verbo é a classe de palavras mais rica em flexões, que são:

  • a) de modo
  • b) de tempo
  • c) de número – pessoa
  • d) de voz
  • a) DE MODO:

É a propriedade de o verbo designar a atitude mental do falante em face do processo que enuncia. Os modos são:

  • 1 - Indicativo
  • 2 - Subjuntivo
  • 3 - Imperativo

1) INDICATIVO:Expressa uma atitude de certeza, ou apresenta um fato como real.

Podemos ainda dizer que indica o fato real, verdadeiro.

Exemplos:

Brinco, trabalho, estudo; brincava, trabalhava, estudava; brinquei, trabalhei, estudei.

  • 2) SUBJUNTIVO:Exprime um atitude de dúvida, ou anuncia um fato como possível, hipotético, provável ou incerto.

Exemplos:

Brincasse, trabalhasse, estudasse; brinque, trabalhe, estude; brincássemos, trabalhássemos, estudássemos.

  • 3) IMPERATIVO:Em que o falante deseja que um fato se dê: é a expressão da ordem, do desejo, da súplica, do pedido.

Realmente, o imperativo indica principalmente a ORDEM e o DESEJO.

Exemplos:

Brinca, trabalha, estuda; brinque, trabalhe, estude; brincai, trabalhai, estudai.b) DE TEMPO:

O tempo verbal é a localização da ocorrência do processo em relação ao momento em que se fala.

São três os tempos:

  • a) presente
  • b) pretérito (= passado)
  • c) futuro

Somente o pretérito e o futuro são divisíveis.

Existem tempos simples, compostos, primitivos e derivados. 

c) DE NÚMERO:

  • 1) O verbo apresenta desinências que, simultaneamente, indicam número singular e plural.

Ainda podemos dizer que indica a quantidade de seres envolvidos no processo verbal.

  • 2) DE PESSOA:

A flexão de pessoa indica as pessoas do discurso, são elas:

a) 1ª pessoa é a que fala, também chamada de falante, emissor. Eu e nós. Eu estudei, nós trabalhamos.

b) 2ª pessoa é a que com quem se fala ou ouvinte ou receptor. Tu e vós. Tu estudaste, vós trabalhastes.

c) 3ª pessoa é a de quem ou que se fala ou o assunto e corresponde aos pronomes pessoais ele, ela, no singular, eles e elas, no plural. Ele trabalhou, eles trabalharam.

d) DE VOZ:

"É a forma em que se apresenta o verbo para indicar a relação entre ele e o seu sujeito". (P. Mattoso Câmara Jr. D. F. G., S. V. Voz)

Existe flexão de voz?

Não.

Voz não é flexão, porque não se usam desinências para se ter a voz ativa, a passiva e a reflexiva.

Voz é apenas um aspecto verbal. É a forma que o verbo assume para exprimir sua relação com o sujeito.

Veja que a importância da morfologia é a que estuda o verbo com relação à voz.

O verbo pode ser:

a) ativo

b) passivo

c) reflexivo

a) VOZ ATIVA:

Quando o sujeito pratica ação verbal. Ou, o verbo de uma oração está na voz ativa quando a ação é evidentemente praticada pelo sujeito.

Exemplos:

João comprou os cadernos.

Pedro brincou na praia.

Nós falamos de futebol.

Nas orações, os verbos comprou, brincou e falamos, indicam ações praticadas pelos respectivos sujeitos: João, Pedro e nós.

    b) VOZ PASSIVA:

Quando o sujeito recebe a ação verbal. O agente da passiva (regido de preposição por, de ou a) pratica a ação verbal.

A voz passiva pode ser apresentada sob duas formas:

1 – Com o verbo auxiliar - voz passiva analítica.

A casa foi destruída pelo fogo.

O caçador foi morto pelo leão.

A casa e o caçador funcionam como sujeito na voz passiva.

O sujeito não pratica a ação, mas sofre a ação.

Podemos dizer ainda que o sujeito não pratica e sim, recebe a ação verbal.

2 – A voz passiva com o pronome (se) apassivador - voz passiva pronominal ou voz passiva sintética.

Exemplo:

Comprou- se o livro (= O livro foi comprado).

Leu- se o livro (= O livro foi lido).

    c) VOZ REFLEXIVA:

Quando o sujeito pratica e recebe a ação verbal, simultaneamente.

Na voz reflexiva, a ação é, – (simultaneamente, ao mesmo tempo) – praticada e recebida pelo sujeito que, por isso, é chamada de AGENTE e ou PACIENTE.

Exemplos:

Ele se queixa.

João feriu- se.

Ele se machucou.

Eu me arrependi.

NOTA: Tem força PASSIVA os verbos ativos, quando, estando no infinitivo, funcionam como complemento de certos adjetivos.

Exemplos:

"Osso duro de roer" é o mesmo que:

"Osso duro de ser roído".de roer – é complemento nominal de duro.

"Estrada difícil de passar" eqüivale a:

"Estrada difícil de ser passada".de passar – é complemento nominal de difícil.




Tópicos relacionados:
Abreveaturas
Agente da Passiva
Exercícios Agente da Passiva
Representação do Agente da Passiva
Respostas dos Exercícios Agente da Passiva




6472502 visitas ao site desde março de 2005.
Desenvolvido por Brasuca Websolution